• Wilson Dias

O Solo e a sua importância adormecida!



As plantas precisam de pelo menos 40 minerais (elementos) pra se desenvolverem de forma completa. O solo, que é o resultado da desintegração das rochas, normalmente contém todos estes minerais.

A Natureza é sábia. Nós humanos e animais - que nos alimentamos das plantas - também necessitamos destes 40 minerais pra que nossos processos orgânicos e celulares sejam plenos e eficazes em suas funções.Só que, com o fim da Segunda Guerra Mundial e a ociosidade da indústria bélica, as mega-corporações do sistema financeiro mundial decidiram que esta capacidade industrial seria direcionada pra agricultura.

Com isso, quase toda fertilização do solo e nutrição das plantas começou a ser baseada em somente 3 elementos: NPK (Nitrogênio, Fósforo e Potássio), pois é isso que a indústria bélica-agroquímica produz e quer vender.

Com o consequente desequilíbrio nutricional, as plantas ficaram mais suscetíveis às doenças e pragas. Isto permitiu à mesma industria vender bilhões de dólares a cada ano de agrotóxicos.

Estes venenos mataram a vida no solo. E contaminaram as águas sambem, dificultando qualquer possibilidade de revitalização. E os micro-organismos do solo eram fundamentais porque são eles que disponibilizam os minerais às plantas. Prevaleceu, como sempre, os interesses do lucro, do capital.

Esta falta de minerais (na terra, nas plantas, nos animais e em nós) gera uma série de problemas e deficiências graves no conjunto da sociedade que vão desde dificuldades de aprendizado e de discernimento, desenvolvimento intelectual e físico limitado até o surgimento de doenças crônicas e degenerativas, o que é ruim pra todo mundo MENOS pra indústria medico-farmaceutica-hospitalar, outra ramificação do sistema financeiro que domina o mundo.

Não é difícil entender que este esquema acima é a causa de praticamente TODOS os problemas que vivenciamos na sociedade.Como já deu pra perceber também, os interesses são bilionários. Então as oito mega-empresas (controladas por grandes bancos e fundos de investimento) que dominam a base da alimentação mundial (a agricultura), trata de se infiltrar nas universidades, institutos de pesquisas, na mídia, no sistema editorial cientifico enfim , em toda parte onde seja necessário pra formar e manter o senso comum de aceitação do seu negócio altamente lucrativo e dominador. Isto é tão forte que até muitos que trabalham com "agricultura orgânica" repetem o discurso imposto pela industria agroquímica.

Uma das estratégias usadas é apagar técnicas ancestrais, eficientes e baratas de fertilização, revitalização e remineralização do solo. Uma tecnologia que pode ser compreendida e apropriada por qualquer produtor rural tornando-o, com o tempo, autossuficiente e, portanto, livre.

Isto não pode ficar disponível e acessível já que a indústria agroquímica oferece o pacote pronto, cotado em dólar, pra ser vendido na loja causando dependência e, por fim, a falência do agricultor. Ela age portanto no sentido de esconder, descredibilizar e apagar estas técnicas da cultura do campo.

Lúcio Lambert